quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Macarrão de arroz

Bom dia meus amores! Hoje tenho uma novidade para aqueles que adoram uma boa massa e não a dispensam mesmo em dieta. O macarrão de arroz, conhecido também como BIFUM ou MIFUM. Podemos sim achá-los no supermercado. Existe também um outro, também de arroz, que já estão nas prateleiras dos supermercados. É só procurar.!
O bifum, ao contrário do macarrão comum e do integral, pode ser comido com outros carboidratos. “Porém, é importante ressaltar que o total de carboidrato da refeição depende de peso e padrão de atividade física de cada pessoa”. Você pode consumí-lo a qualquer hora do dia e ainda usá-lo no lugar de pães para pequenos lanches. Vai muito bem com um pouquinho de sal, pimenta, molho de soja ou apenas vinagre de arroz, mas, se desejar, pode acrescentar um pouco de ervas finas e azeite. A nutricionista frisa que ele pode ser feito pela manhã e consumido ao longo do dia, mas é bem mais gostoso quando comido na hora.
Agora que você já tem ótimos motivos para incluir esse alimento tão simples e funcional na sua alimentação, nada melhor do que ideias para isso!


Macarrão de arroz com salada
Para a salada
200g de macarrão de arroz
1 cenoura ralada em fios longos
1 pepino japonês ralado em fios longos
3 colheres (sopa) de cebolinha picada
8 unidades de kani kama desfiados
Modo de preparo
Cozinhe o macarrão em água fervente por dois minutos, escorra e passe na água gelada. Se você quiser ele bem geladinho, coloque pedras de gelo na água. Escorra bem e misture com o kani, a cebolinha, a cenoura e o pepino.
Para o molho
100ml de vinagre branco
50ml de água
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de sal
1 colher (sopa) de gergelim preto
Modo de preparo
Misture os ingredientes do molho e regue a salada. “Tem quem goste de regar com shoyu na hora de consumir.
 
 

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Por que é importante consumir produtos orgânicos?

 
 
Produto orgânico é o resultado de um sistema de produção agrícola que não utiliza agrotóxicos, aditivos químicos ou modificações moleculares em sementes.
Este cultivo busca manejar de forma equilibrada, através de métodos naturais de adubação e de controle de pragas, o solo e demais recursos naturais, preservando-os de contaminações e utilizando-os de maneira sustentável, mantendo a harmonia entre homem e natureza.
Nas últimas décadas, o uso indiscriminado de agrotóxicos e produtos químicos na produção de alimentos vem causando preocupação em diversas partes do mundo. Um forte exemplo é a crítica ao modelo de agricultura vigente que cresce à medida que estudos comprovam que os agrotóxicos contaminam os alimentos e o meio ambiente, causando danos à saúde.
A partir dos anos sessenta os efeitos nocivos da agricultura convencional especialmente os resíduos de agrotóxicos encontrados na água, no solo e nos alimentos – tornaram-se mais evidentes e, em diversos países, o movimento ambientalista fortaleceu a proposta da agricultura orgânica.
Dentro deste contexto, tem aumentado progressivamente a procura por alimentos produzidos de forma orgânica, isto é, livres de fertilizantes químicos, agrotóxicos, antibióticos, hormônios e outras drogas usualmente utilizadas. Estudos científicos sugerem que os alimentos orgânicos são melhores para a nossa saúde, pois o seu valor nutricional é maior do que aqueles produzidos convencionalmente.
Atualmente encontramos desde cereais, carne, frango, toda linha de laticínios e até papinhas e comidinhas para bebes, totalmente orgânicos, além de alguns condimentos e outros produtos de mercearia seca que são comercializados em redes de supermercados e diversas lojas. Alguns produtores/empresas fazem o serviço de entrega domiciliar. Muitas empresas investem neste mercado “orgânico” viabilizando cada vez mais uma alimentação habitual com uma gama de muitos produtos que têm como principal característica a ausência de insumos químicos, corantes, conservantes, acidulantes, entre outros, na sua produção.
Todo produto orgânico deve ter um selo de certificação que comprova a procedência dos produtos e sua qualidade.
Os consumidores de produtos orgânicos destacam a diferença de preço e de qualidade entre os produtos orgânicos e os convencionais – “podem custar um pouco mais, mas não tem agrotóxicos, aditivos, conservantes, corantes ou acidulantes o que garante uma melhor qualidade na alimentação da minha família e estão sempre “fresquinhos”.
Facilmente comprovamos que os consumidores de produtos orgânicos fazem opções diversas em relação aos cuidados com a saúde. A alimentação orgânica representa um dos meios para garantir a saúde e, quando necessitam de outros cuidados, preferem a homeopatia e outras práticas de medicina natural ao tratamento alopático.
Percebe-se nas ideias e atitudes desses consumidores uma reação às transformações alimentares dos últimos tempos. A alimentação moderna vem mudando os hábitos das pessoas com a industrialização de refeições pré-preparadas ou prontas com adição de conservantes, estabilizantes e outros produtos químicos que ao serem consumidos ao longo da vida trarão prejuízos a saúde. Para estes consumidores, o alimento orgânico significa um meio de prevenir doenças, dessa forma, adquire um valor de garantia e investimento na saúde.
Estudos científicos sugerem que os alimentos orgânicos são melhores para a nossa saúde, pois o seu valor nutricional é maior do que aqueles produzidos convencionalmente.
 

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Benefícios da Graviola para a saude

Usos na Medicina


Todas as partes da árvore de graviola são utilizadas na medicina natural nos trópicos, incluindo a casca, folhas, raízes, frutos e sementes de frutas. Diferentes propriedades e utilidades são atribuídas às diferentes partes da árvore.
Geralmente, a fruta e suco de frutas são tomados para combater vermes e parasitas, para amenizar febres, para aumentar o leite da mãe após o parto, e como um adstringente para diarreia e disenteria. As sementes esmagadas são usadas contra parasitas internos e externos, piolhos e vermes. A casca, folhas e raízes são consideradas sedativas, antiespasmódicas, hipotensoras, e um chá é feito para o combate de vários distúrbios.
A Graviola tem uma história longa e rica de uso na medicina herbal, bem como um extenso e documentado uso indígena. Nos Andes peruanos, um chá das folhas é usado para combater o catarro (inflamação das membranas mucosas) e as sementes esmagadas usadas para matar parasitas. Na Amazônia peruana, a casca, raízes e folhas são usadas para diabetes, e como um sedativo e antiespasmódico.
Tribos indígenas da Guiana usam uma folha e / ou chá da casca como sedativo e tônico para o coração. Na Amazônia brasileira um chá de folhas é usado para problemas hepáticos, e o óleo das folhas e a fruta verde é misturada com azeite de oliva e utilizado externamente para nevralgia, reumatismo e dores de artrite. Na Jamaica, Haiti, e as Índias Ocidentais a fruta e / ou suco de frutas é usado para febres, parasitas e diarreia; a casca ou a folha é usada como antiespasmódico, sedativo, calmante e para o coração, tosse, gripe, parto difícil, hipertensão, asma e parasitas.

Produtos químicos da planta

Muitos compostos ativos e produtos químicos foram encontrados na graviola, como os cientistas têm estudado suas propriedades desde 1940. A maioria das pesquisas sobre a graviola se concentra em um novo conjunto de substâncias químicas chamadas ACETOGENINA. A Graviola produz combinações naturais em sua folha e caule, casca, sementes e frutas. Três grupos de pesquisa diferentes confirmaram que estes produtos químicos têm propriedades antitumorais e toxicidade seletiva contra vários tipos de células cancerígenas (sem prejudicar as células saudáveis).
Muitas das acetogeninas demonstraram toxicidade seletiva às células tumorais em doses muito baixas, como apenas 1 parte por milhão. Quatro estudos foram publicados em 1998 que especificaram os produtos químicos e acetogeninas na graviola, que estão demonstrando fortes propriedades anticancerígenas, antitumorais e antivirais. Em um estudo clínico em 1997, os alcalóides encontrados na graviola exibiram efeitos antidepressivos em animais.
ACETOGENINA só são encontradas na família Annonaceae (à qual pertence graviola). Estes produtos químicos em geral, têm sido documentados com antitumorais, antiparasitários, inseticidas e antimicrobianos. Estudos realizados em três laboratórios determinaram recentemente que estas acetogeninas são inibidores dos processos de enzima que só são encontrados nas membranas de células tumorais cancerosas. É por isso que eles são tóxicos para as células cancerosas, mas não têm toxicidade para as células saudáveis.
Graviola é certamente um remédio natural promissor e que novamente enfatiza a importância de preservar nossos ecossistemas florestas tropicais remanescentes. Talvez, se as pessoas acreditassem que a possível cura para o câncer está em uma floresta de plantas, talvez tomassem as medidas necessárias para proteger nossas florestas tropicais da destruição.

Torta de Espinafre de liquidificador

Bom dia meus amores!

Esta receitinha é bem fácil e prática.

MASSA

1 ovo
1 copo de farinha de trigo integral
1 copo de leite sem lactose (300 ml)
1 xícara de chá de óleo
1/2 colher de chá de sal
1/2 xícara de chá de queijo parmesão ralado
1 colher de sobremesa de fermento em pó


RECHEIO

2 maços de espinafre cru
1 cebola média bem picadinha
sal a gosto
3 dentes de alho

PREPARO

Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador e reserve. Refogue a cebola e o alho até dourar, acrescente o espinafre e deixe-o cozinhar até amolecer. A água que se formar no cozimento deve ser descartada.
Derrame a massa sobre uma forma refratária untada com óleo e cubra com o espinafre.
Forno pré-aquecido a 150o por 15 minutos.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Salada Detox

Olá minhas amigas! Vamos de uma bela  salada para refrescar? As saladas são maravilhosas e refrescantes para este período de calor.

INGREDIENTES

250g de peito de frango
1 cenoura cortada em tiras
10 tomates cereja
150g de ervilha fresca ou vagem

Desfie o frango. Enquanto isso cozinhe os legumes no vapor. Após, misture tudo e tempere apenas com azeite e vinagre balsâmico. O frango é temperado apenas com pouco sal e pimenta do reino....

domingo, 4 de janeiro de 2015

Barrinha de cereal

Gente, é simplesmente deliciosa e muito fácil e prático de fazer.

INGREDIENTES

2 Claras
1 banana amassada
uvas passa 1/2 xícara
amêndoas picadas 1/3 de xícara
castanhas de caju picadas 1/3 de xícara
3 colheres de mel de abelha
2 xícaras de aveia em flocos

PREPARO

Misture tudo em uma vasilha. Unte uma forma e coloque a massa delicadamente sobre a forma espalhando com uma colher. Corte antes de levar ao forno. Pré aqueça o forno a 180o. Assar por uns 15 minutos. Apenas 74 calorias .

NOVIDADES NOS TRATAMENTOS PARA ARTROSE

Técnicas atuais tratam a causa e não somente a dor, proporcionando melhores resultados para os pacientes.

A artrose é uma doença degenerativa que começa a partir dos 45 anos, afetando a cartilagem do osso, e acomete principalmente as mulheres.
Os primeiros sintomas da doença são as dores nos joelhos e nas articulações, principalmente quando a pessoa desce escadas. Outras manifestações são as formações de nódulos, aumento do volume do joelho ou calor nas articulações. Quem tem artrose de mãos, tem também artrose de coluna, quadril e joelho.
Um medicamento que pode ser utilizado contra a artrose é o estrôncio, remédio usado para osteoporose, mas que serve para o paciente com artrose. Para os pacientes que tem osteoporose e artrose, o medicamento é indicado, mas para aqueles que só possuem artrose, é preciso fazer primeiro o tratamento convencional. Portanto, pedir orientação junto ao seu médico.
Hoje, temos um princípio do tratamento da causa. Antigamente os tratamentos eram feitos com analgésicos e anti-inflamatórios que só diminuíam a dor.
Já as novas técnicas, tratam a dor. Como o ácido hialurônico (uma injeção feita a cada seis meses) diminui a dor e melhora a mobilidade. Corticoide intra-articular, para um quadro mais agravado, e que não tem consequências no corpo inteiro, por ser injetado na articulação. Outras terapias de ponta são feitas com células-tronco  ( que conseguem recuperar a cartilagem do joelho, em fase experimental), e PRP ( Plasma Rico em Plaquetas), que consiste em separar o plasma do sangue, selecionar as plaquetas (secreta 20 fatores de crescimento) e injetar esse líquido de um joelho com artrose.
Normalmente é indicado nos casos em que o tratamento convencional não funcionou. Porém, é importante aliar o tratamento a perda de peso. Cerca de 10% de perda de peso já melhora significamente a artrose. Além de atividades físicas, como caminhadas, bicicleta, hidroginástica, pilates, yoga e funcional, que melhoram muito a doença.